universo-jatoba-casa-idosos

O que faz uma casa ser segura para o idoso viver?

por Giana Ramos

Hoje vou escrever sobre algo que pode ser uma ferida na vida de qualquer idosa: tirar o tapetinho da entrada da porta. Para começar, vamos falar de alguns dados: 50% da população com mais de 65 anos cai anualmente e 60% vai cair de novo no próximo ano. 70% dessas quedas acontecem na própria residência, frequentemente nos banheiros, pois o piso costumar ser mais escorregadio. As quedas causam 30% dos óbitos no estado de São Paulo. A boa notícia é que ela pode ser evitada. Basta informar, prevenir e aceitar as adaptações necessárias no lar da pessoa idosa.

Escorregar no banheiro, tropeçar no tapete, bater na quina, desequilibrar com o cachorro… Essas são situações comuns vivenciadas durante o dia a dia em casa. A questão é: o idoso já apresenta dificuldades de equilíbrio, coordenação, visão, entre outros, o que dificulta a reação do corpo na correção da postura bípede. Em seguida, vem o segundo problema: os ossos da maioria dos idosos são mais frágeis, tornando as fraturas frequentes. Falando nelas, em 2006, o Brasil gastou R$70 milhões para tratar das fraturas decorrentes de quedas.

Pensando que a informação será a forma mais eficaz para combater esse mal, separei as principais mudanças que devem ser feitas para garantir a segurança do idoso dentro de seu lar:

  1. O quarto deve ter o interruptor próximo da cama, para que o idoso possa acender a luz sem precisar levantar-se. O criado-mudo fixo é muito melhor. Opte por um com bordas arredondadas para evitar escoriações. A cama deve estar na altura adequada para a pessoa, ou seja, ela precisa conseguir colocar os pés no chão. Também não pode ser muito baixa para que fique fácil levantar, algo em torno de 45-50cm.
  2. Na sala, o idoso deve conseguir apoiar os pés no chão sem dificuldades ao sentar-se no sofá. Nada de tapetes, fios e tacos soltos. Cuidado com os brinquedos dos netos espalhados pela casa, eles podem se tornar uma armadilha, assim como os animais de estimação. A iluminação deve ser forte e a maçaneta da porta deve ser do tipo alavanca, facilitando sua abertura. Se insistirem pelos tapetes, compre aqueles com adesivo para prender ao chão.
  3. O temido banheiro exige mais cuidado. Instale barras de apoio no assento do vaso e dentro do box, um levantador de assento também é interessante. Opte pelo piso antiderrapante no ambiente inteiro e evite desníveis, eles são perigosos. Por último, coloque o interruptor perto da porta.
  4. A cozinha também tem suas armadilhas. Deixe as coisas mais à mão, evitando que a vozinha invente de subir em um banco para alcançar algo. Vá por mim, ela vai tentar! As quinas dos móveis devem ser mais arredondadas e os armários têm que estar fixados nas paredes.
  5. As escadas, de preferência, devem conter aquelas fitas antiderrapantes, pois os idosos vão perdendo o senso de profundidade por culpa da visão. O corrimão dos dois lados deve começar antes dos degraus. Os corredores não devem ter objetos espalhados, nem tapetes e devem ser mantidos muito bem iluminados.

Antes de fazer alterações na casa, consulte um profissional. Falo pela minha profissão, fisioterapeutas são especialistas em adequar ambientes para as necessidades do idoso. Conseguimos enxergar o potencial perigo de um objeto ou lugar e alterá-lo para manter a qualidade de vida da nossa terceira idade.

Dra. Giana Ramos é graduada em fisioterapia (São Camilo – SP), Especialista em ortopedia e traumatologia (Santa Casa – SP), Especialista em Docência no ensino superior (SENAC – SP). Formação em Reeducação Postural Global e Auriculoterapia – (FENAFITO – SP). Professora do curso de formação de cuidadores de idosos (SENAC – SP), empresária do Centro de Atendimento Especializado (CAESP SAÚDE), gestora do programa de qualidade de vida na terceira idade da Vila Maria Zélia – Belenzinho – SP.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!