4 – Sexo ruim

Eu não sinto vontade de transar. E agora?

por Dr. Thomas Moscovitz

É sempre importante para mim, quanto profissional da saúde feminina, abordar um tema considerado ainda tabu para muitas mulheres: a disfunção sexual feminina – problema durante as fases do ciclo de resposta sexual da mulher, que a impede de chegar ao prazer durante a relação sexual. Lembrando que este tema não é algo incomum, atingindo cerca de 35% das brasileiras.

Essas disfunções são causadas por diversos fatores, entre eles problemas emocionais, uso de medicamentos ou problemas físicos causados por algum tipo de enfermidade.

As causas mais comuns ligadas a esse problema são:

– Baixa quantidade de hormônios na corrente sanguínea;

– Alguns medicamentos, como relaxantes, antidepressivos, anti-hipertensivos, antibióticos e anti-histamínicos;

– Doenças que afetam o sistema reprodutor;

– Cansaço;

– Quimioterapia;

– Histerectomia:  remoção de parte ou da totalidade do útero, por via abdominal ou vaginal.

– Idade avançada;

– Doenças;

– Falta de intimidade com o parceiro;

– Sensação de culpa;

– Preocupação;

– Estresse;

– Falta de afeto ou amor pelo parceiro.

O diagnóstico é feito por meio de uma consulta com um ginecologista, após uma avaliação das condições físicas da paciente. Caso não seja encontrada nenhuma doença ou outro tipo de disfunção que explique a falta de interesse sexual, é recomendada uma conversa com um psicólogo. Dessa forma, problemas emocionais que afetam essa área podem ser identificados e tratados.

Já o tratamento é feito após a identificação dos fatores que levam a cada tipo de disfunção. Portanto, tratar as doenças físicas e emocionais antes de partir para o tratamento em si, é importantíssimo para obter um bom resultado final.
Não ingira chás que prometem interferir no bom desempenho sexual. É fato que alguns alimentos têm essa fama porque aumentam a vasodilatação e favorecem a irrigação em várias partes do corpo, inclusive naquelas onde há maior estímulo sexual, no entanto, algumas ervas e temperos, se ingeridos com muita frequência e em grande quantidade, podem causar danos irreversíveis ao corpo.
Não se envergonhe caso apresente algum tipo de disfunção sexual; todas elas têm cura. Procure o seu médico!

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!