Ujatoba_infertilidade

Depois dos 40: Idade e infertilidade

por Dr. Thomas Moscovitz

Muitas mulheres, seja por se preocuparem com a carreira profissional, por buscarem por estabilidade financeira ou não terem encontrado um parceiro adiam a decisão de gerar um filho. Mas afirmo: as chances de engravidar diminuem com o passar dos anos.

Uma longa e antiga discussão gira em torno da gravidez após os 40 anos. No entanto, a resposta para tantas dúvidas é na simples afirmação de que a gestação após a idade citada pode colocar em risco a vida da mulher.

Isso ocorre por conta de algumas complicações que podem surgir no caminho, como hipertensão ou até mesmo diabetes gestacional. É importante lembrar que, independente da idade, durante a gravidez, o trabalho do coração e a circulação sanguínea aumentam, o que pode sobrecarregar o músculo cardíaco.

O preparo físico também conta bastante. O ideal é que a futura mamãe, se já estiver com mais de 40, não sofra com problemas como osteoporose, obesidade ou problemas de circulação.
Muitas mulheres conseguem engravidar naturalmente; outras não. O número de óvulos que a mulher produz começa a cair cerca de 20 anos antes da menopausa. Os óvulos podem ser produzidos com defeitos nos cromossomos, o que aumenta o risco de aborto espontâneo ou malformações.

No caso de infertilidade, a reprodução assistida tem sido indicada; aliás, de acordo com a Sociedade Brasileira de reprodução Assistida (SBRA), a idade máxima recomendada é 50 anos, no entanto, não existe uma lei que limite a idade de reprodução após esta idade, apesar de ser contraindicada por grande parte dos médicos.

A Inseminação Artificial é a técnica mais simples e usada. Neste caso, a fecundação ocorre dentro do corpo da mulher, a partir do sêmen que é inserido no colo do útero. É indicada no caso de casais que apresentem problemas relacionados à infertilidade, como dificuldade na ovulação ou produção de baixo número de espermatozoide. A Fertilização In Vitro (FIV) é uma técnica que consiste em retirar o óvulo feminino do corpo da mulher e fecundá-lo por um espermatozoide em laboratório. Se tudo der certo, o embrião é transferido para o útero da mulher. Esta técnica é comum em mulheres com endometriose, problema nas trompas ou outros problemas.

A ICSI – Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides – funciona quase como a Fertilização in Vitro. Um estudo recente publicado na revista médica americana “Fertility and Sterility” evidenciou que mulheres de 40 anos que se submetem a tratamentos para engravidar têm 25% de chance de conceber um bebê com seus próprios óvulos. Aos 43, esse número cai para 10%, enquanto que aos 44 a chance despenca para apenas 1,6%.

 

Dr. Thomas Moscovitz – Doutor pela Faculdade de Medicina da USP. Especialista em: Ginecologia – Obstetrícia – Videolaparoscopia – Videohisteroscopia. Assistente Voluntário do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. Médico Ginecologista na Granmedic.

Dr. Thomas Moscovitz escreve às segundas-feiras aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!