Ujatoba_amor_pingente

Está em crise? Experimente amar

por Debora Ganc

Nesta semana quero compartilhar com vocês uma história que minha mãe me contou. Ela era filha única, tinha por volta de nove anos e já era bem independente. Caminhava sozinha para a escola, fazia compras no mercado e ajudava a sua mãe no que podia. Não eram pobres, aliás para os padrões dos habitantes do povoado eram até ricos! Pois o piso de sua casa era de madeira!!! (As outras casas tinham o chão de terra.)

Eram os anos mais escuros do comunismo e o terror pairava entre os habitantes da pequena aldeia. O governo tinha passado uma lei que proibia receber qualquer hóspede para dormir em sua casa. Os visitantes tinham que se registrar na polícia e declarar onde ficariam hospedados. Meu avô tinha um irmão mais novo, estudante universitário, que morava na capital. Um dia a esposa deste irmão veio pedir abrigo por uma noite para ela e suas duas filhas. O marido havia participado de um comício e fora sumariamente executado junto com seus colegas. É lógico que não podiam avisar a polícia!

Essa única noite acabou se estendendo por um ano e demorou pouco para que as meninas ficassem amigas. Mas antes disso acontecer, minha mãe, filha única, não gostou nem um pouco de dividir o pouco que tinha, inclusive sua cama com as outras duas. Foi se queixar ao pai e perguntou: “Papai você me disse que as escrituras ensinam que todos somos um só e que devemos amar ao próximo como a si mesmo. Isso não é contra a natureza humana? Como posso aprender a amar?”

“A maneira de aprender a amar, respondeu seu pai, é dar aos outros. Um bebê recém nascido só sabe pegar, receber. É por isso que sua mãe o ama mais que tudo no mundo. Ela dá o tempo todo enquanto o bebê só recebe. A mãe dá tanto a seu bebê que para ela, ele parece tornar-se uma parte de si mesma, pois tudo o que ele tem vem dela. Por tanto se você quer amar ao próximo como a si mesmo, dê-lhe tanto que você acabará sentindo que ele se tornou uma parte de você. Aí, então, você o amará e terá vontade de beneficiá-lo tanto quanto a você mesma”. Minha mãe absorveu bem este exemplo e o passou para mim, sua filha, também única.

Se você quer amar outra pessoa, deve dar a ela o seu amor, sua atenção, seu tempo, seu carinho.

Se quer que a outra pessoa o ame peça a sua ajuda. Se a pessoa o ajudar e der a você seu tempo, atenção e carinho isso despertará seu amor por você.  Amor é o prazer que se tem ao focar no lado bom da outra pessoa. Quer ver se funciona?

Se você quer amar alguém lhe proponho uma pequena tarefa. Faça uma lista das qualidades desta pessoa e a cada dia adicione uma qualidade. Faça isso por 30 dias. A explicação é bem simples. Ao se concentrar no lado positivo, seguramente em breve terá sentimentos de amor por ele ou por ela. Nas questões do amor sempre priorize as qualidades!

 

Debora Ganc é Terapeuta Sistêmica, Constelações Familiares, Constelações Empresariais. Gestalt e Programação Neurolinguística.

Debora Ganc escreve às quartas-feiras aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!