Ujatoba_felicidade

É possível aprender a ser feliz?

por Debora Ganc

Sim, é possível aprender a ser feliz! Existem pessoas felizes. Não são muitas, mas é bem provável que você conheça algumas.

Porque a felicidade é uma habilidade como qualquer outra que pode ser cultivada. Todos nós temos o potencial de nos transformar. O problema é que nós subestimamos o poder da nossa mente. Não achamos nada estranho que levemos anos aprendendo a caminhar, ler e escrever ou para adquirir um título profissional. Também nos parece normal dedicar muitas horas na academia para manter o nosso corpo em forma ou fazer um enorme esforço físico pedalando uma bicicleta estática que não nos leva a nenhum lugar.

Como conseguimos executar todas estas tarefas? Com um mínimo de interesse e entusiasmo. E de onde vem esse interesse? Ele vem da crença de que o esforço que fazemos hoje irá nos beneficiar de alguma maneira ao longo do tempo.

Pois trabalhar com a mente segue a mesma lógica. O cérebro é um órgão flexível que pode ser treinado como os músculos de um atleta. A nossa mente tem um papel determinante para alcançarmos maiores níveis de felicidade. Pois é ela que traduz as condições externas em verdadeira felicidade ou em miséria interior.

Diariamente lidamos com nossa mente, ela é nossa melhor amiga ou pior inimiga. Nunca devemos subestimar o poder de nossa mente de invocar felicidade ou sofrimento. Pois é ela que determina a qualidade da cada um dos momentos da nossa vida. Ou melhor,  a felicidade pode ser aprendida, para isso precisamos treinar a nossa mente a descartar pensamentos negativos e  a se concentrar nos positivos.

A nossa sociedade acredita que a felicidade é encontrada em uma série ininterrupta de experiências prazerosas, mas isso é um erro.

A verdadeira felicidade é uma forma de ser que vem com o amor altruísta, com a força interior, a liberdade e a serenidade. E que pode ser cultivada como uma habilidade dia após dia.

Uma coisa é certa: a busca da felicidade está intimamente ligada ao altruísmo e deixa de existir tão logo apareçam atos egoístas. É inegável a relação entre altruísmo e felicidade. As pessoas que são mais generosas também parecem ser as mais felizes. Várias pesquisas já provaram que emocionalmente é muito melhor dar do que receber.

Simples assim!

 

Debora Ganc é Terapeuta Sistêmica, Constelações Familiares, Constelações Empresariais. Gestalt e Programação Neurolinguística.

Debora Ganc escreve às quartas-feiras aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!