Universo-Jatoba-vitimizacao-margareth

Você se considera vítima de sua própria vida?

por Margareth Signorelli

Ricardo me escreve: “Me sinto vítima da minha própria vida. No amor, as coisas não fluem e isto acaba refletindo para outras áreas, inclusive a profissional”.

“Vitimização é um dos narcóticos psicológicos mais destrutivos. É viciante, dá prazer momentâneo e a pessoa se isola da realidade”.

As pessoas que dizem “Coitado (a) de mim” nem sempre se dão conta que estão se vitimando. Isto acaba fazendo parte do seu diálogo interno, responsabilizando alguém ou algo pelos resultados da sua vida. Este diálogo acaba se exteriorizando, mas mesmo assim a responsabilidade ainda é colocada nos ombros dos pais, ex-companheiros ou da vida.

O que acontece quando nos sentimos vítimas?

Energeticamente falando, o flow de abundância e felicidade é obstruído quando nos colocamos na posição de incompreendidos e explorados, assim atrairemos mais pessoas com o mesmo tipo de vibração.

Dentro do coaching percebemos que este tipo de pessoa tem Q.A. (coeficiente de adversidade) baixo.

O Q.I. das pessoas não dá para ser mudado, mas o Q.A, sim. Como? Aumentando a responsabilidade.

Quando dizemos que a responsabilidade não é nossa, perdemos a força e colocamos os resultados da nossa vida nas mãos dos outros. Não conseguimos vencer, nos sentindo injustiçados, mas sim tendo confiança no poder próprio, porque só assim teremos controle ou capacidade para mudar a nós mesmos e nossa perspectiva da situação.

“Você não pode controlar o que acontece com você, mas sim suas atitudes na direção do que lhe aconteceu. Com isto, você pode fazer mudanças ao invés de se permitir mudar em consequência do mesmo”.

Existem alguns elementos formadores do Q.A. que podem ser aumentados.

Controle, Responsabilidade, Alcance e Duração.

Controle – Foque na parte do seu problema que pode ser resolvida ao invés de supor que não existe solução.
Responsabilidade- Não se preocupe em culpar as pessoas envolvidas na formação do problema. Faça a sua parte para resolvê-lo.

Alcance – Não permita que a adversidade invada outras partes da sua vida. Cada coisa em sua área, para que o problema não ganhe proporções maiores do que realmente tem.

Duração – Não deixe que sua reação à adversidade dure mais do que o necessário.

O Controle e a Responsabilidade determinarão seu envolvimento na situação. O Alcance e a Duração definirão a extensão.

Assim, o Coitado de Mim não terá mais lugar na sua historia, mas sim a determinação e o poder, mostrando que os resultados da sua vida são e sempre serão responsabilidade sua.

Grande abraço!

Foto: Thinkstock

 

Margareth Signorelli formou-se bacharel em enfermagem (PUC-CAMP). Sempre se considerou uma cuidadora e continuou sua busca para incentivar pessoas a alcançar seu melhor desempenho possível. Formou-se pelo ICI (Integrated Coaching Institute), em São Paulo, tornando-se uma coach de desenvolvimento. Com interesse especial na área de Relacionamentos encontrou no método de Katherine Thomaz e Clair Zammit a abordagem ideal, graduou-se em Los Angeles, tornando-se uma coach de Transformação. www.conexaocoach.com.br

Margareth Signorelli escreve aos sábados aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!