Ujatoba_Casal-relacionamento-Thinkstock

O Pior Sentimento do Mundo

por Margareth Signorelli

Marly me escreve dizendo: “Sou casada, mas me sinto muito só. É um aperto no peito, que posso dizer que reconheço como se fosse o pior sentimento do mundo”.

Quantas pessoas dizem que têm um companheiro (a), mas se sentem mais sós do que se estivessem sozinhos? Não conseguem sentir uma conexão entre os dois, nem detectar quando foi quebrada e se um dia será resgatada.

Com o tempo, o relacionamento passa por vários momentos difíceis que nem sempre o casal administra como deveria. Normalmente, “ligam o automático” e passam por cima de situações que precisariam de pelo menos um diálogo para serem resolvidas, mas por uma infinidade de razões parece mais fácil deixar como está.

O que não se percebe é que cada um desses pequenos acontecimentos vão se acumulando e, consciente ou inconscientemente, o casal acaba se distanciando. Quando param para pensar, parece que não se reconhecem mais.

Quando estamos tristes, costumamos permanecer na energia da vitimização e nos sentir abandonados, sem perspectiva alguma. Muitas vezes, esperando que alguém apareça para nos resgatar deste sofrimento. Esse sentimento acaba aumentando ainda mais a distância, pois responsabilizamos a outra pessoa e nos ressentimos. O que não sabemos é que na maioria das vezes quando isso acontece, a outra pessoa está sentindo a mesma coisa.

Mas, existe algum modo de se reverter esta situação, que parece caminhar para um abismo sem fim? Em primeiro lugar, tenha certeza que para que haja uma mudança nem sempre os dois precisam tomar uma atitude juntos, só é preciso que um queira mudar e os resultados mudarão.

Seguem 3 passos que poderão lhe ajudar:

1 – Concentre-se e aprofunde-se no Reconhecimento dos seus sentimentos. Tenha certeza do que está sentindo;

2 – Respire fundo e tenha coragem de Verbalizá-los. Esse momento pode mudar totalmente a dinâmica da sua relação;

3 – Fale claramente o que quer sem se preocupar em ser julgado, mas simplesmente mostrando o que está lhe entristecendo e os afastando. Diga por exemplo: “Estou muito triste e me sentindo desconectada de você. Como você pode me ajudar a mudar esse sentimento?”.

Perceba que, independentemente da resposta do outro, seu sentimento irá mudar para melhor porque você conseguirá emanar ao invés de tristeza, ressentimento e frustração, amor e abertura para que haja diálogo.

Tantas vezes somos obrigados a falar pela razão, sem poder dar margem aos nossos sentimentos mais profundos. Nada melhor do que poder falar pelo coração com as pessoas que queremos bem e amamos, transformando o pior sentimento do mundo em uma oportunidade de reconexão.

Dúvidas sobre relacionamento, escreva pra margareth@conexaocoach.com.br, talvez eu possa lhe ajudar.

Grande abraço!

 

Margareth Signorelli formou-se bacharel em enfermagem (PUC-CAMP). Sempre se considerou uma cuidadora e continuou sua busca para incentivar pessoas a alcançar seu melhor desempenho possível. Formou-se pelo ICI (Integrated Coaching Institute), em São Paulo, tornando-se uma coach de desenvolvimento. Com interesse especial na área de Relacionamentos encontrou no método de Katherine Thomaz e Clair Zammit a abordagem ideal, graduou-se em Los Angeles, tornando-se uma coach de Transformação. www.conexaocoach.com.br

Margareth Signorelli escreve aos sábados aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!