Ujatoba_esmaltes1

Novos esmaltes da Clinique

por Genia Winitzki

A Clinique está lançando 12 cores de esmaltes com fórmula testada oftalmologicamente e dermatologicamente. Levaram seis anos para desenvolver o produto! Fernanda Calvet, diretora da marca, me contou que a empresa retirou seis ingredientes, que, reconhecidamente, dão alergia e são utilizados em quase todas as fórmulas. (Aliás, Calvet me disse que pesquisas mostram que levamos as mãos aos olhos 200 vezes por dia (!), daí o cuidado para este lance do “oftalmologicamente” testado – pálpebras avermelhadas e inchadas são um dos sintomas!)

“O desafio foi tirar ingredientes que tinham sua função para chegar em outros, que também trabalham juntos, garantindo cor sem prejudicar  brilho e a durabilidade”, disse Calvet. Claro que a empresa não revela nem sob tortura quais são estes ingredientes para não dar margem a cópias da concorrência.

Constança Tatsch, editora do Dermapost, também foi atrás de mais detalhes com especialistas.  “Tem”, diz ela, “quem começa a ter coceira e vermelhidão no rosto, especialmente ao redor da boca e no pescoço (a gente já falou dos olhos, né?). Os suspeitos de sempre vêm à mente: comi camarão? passei tal creme? usei bijuteria? algum inseto me picou?

Pode parecer irônico, mas a dermatologista Tatiana Gabbi contou para a Constança que raramente os sintomas se manifestam nas mãos. O primeiro passo, então, é deixar as unhas sem esmalte por um tempo e se certificar com um médico de que é isso mesmo (e o melhor tratamento).

O dermatologista pode investigar qual componente virou uma praga. “Nos esmaltes hipoalergênicos não são colocados aqueles que mais frequentemente provocam alergia como tolueno e formaldeído. Mas se a pessoa for alérgica a metais e usar um esmalte hipoalergênico cintilante (que, em geral, contém metais) vai apresentar alergia”, disse Tatiana.

Por enquanto muitas marcas estão se transformando em 3-Free (significa que retiraram tanto o tolueno e o formaldeído, como o dibutilftalato,  que dão fixação, brilho e consistência); outras eliminaram apenas o formaldeído ou só os ftalatos (alerta aí: a exposição aos ftalatos vem sendo acusada de malformações congênitas).

Nessa vibe de tirar da fórmula ingredientes mais pesquisados quanto aos impactos que podem causar estão Colorama, Risqué, Impala e Hits, que tem linhas 3-Free, Twoone Onetwo (é brasileira, pessoal, apesar do nome), StarVie, Ludurana, Argento, Revlon, Mavala, Bourjois, ArtDeco, Orly e Derma Nail (claro que tem mais…), além dos novíssimos esmaltes à base de água, como os da Êxtase Collection (saem com água quente e até crianças podem usar… embora eu não seja das mais animadas em ver menininhas de esmalte nas unhas…).

Para saber mais sobre beleza, siga nossa colunista, Genia Winitzki, no site dermapost.com.brFacebook e no Instagram.

 

Genia Winitzki, jornalista, pós-graduada em Marketing, é diretora de conteúdo do site Dermapost e editora-contribuinte da Revista Vogue e da Revista do Studio W. Foi editora especial da Revista Nova e colaborou com publicações como Women’s Health, GQ, Elle, Playboy, e Le Lis.

Genia Winitzki escreve às terças aqui no Universo Jatobá.

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!