imagem_release_307529

5 maneiras de fazer com que seu filho tenha uma alimentação saudável

por Patricia Ruffo

Convenhamos: crianças são desafiadoras na hora das refeições, e fazê-las sentar à mesa pode parecer uma tarefa impossível. Para muitas mães, conseguir com que elas comam um alimento saudável chega a ser uma vitória. Porém, quando se trata de nutrição infantil, a verdadeira conquista é fazer com que as crianças sejam adeptas de uma alimentação saudável ao longo de toda a vida.

Comece cedo com os bons hábitos

Untitled-1

Diversos estudos publicados no periódico americano Pediatrics¹ mostram que os hábitos alimentares de uma criança são consolidados no início da vida e quanto mais cedo conseguir que seus filhos comam alimentos saudáveis, melhor para a saúde deles em longo prazo. Além disso, a nutrição dos pequenos é fundamental para o crescimento atual, desenvolvimento e saúde.

Mas o que nós, mães e pais, devemos ter em mente é que a nossa alimentação é um espelho daquela que almejamos para os nossos filhos. Portanto, não adianta esperarmos que eles tenham uma alimentação saudável se nós mesmos não adotarmos estes hábitos saudáveis. Muitas vezes a correria do dia a dia faz com que os pais não realizem um planejamento antecipado para oferecer opções saudáveis, mas é fundamental que isso aconteça ainda na infância, pois a tarefa poderá ser mais árdua com filhos crescidos.

Quando as batatas fritas se tornaram um vegetal?

crianca-comendo-cara-feia-comida-Copia

Um estudo realizado nos Estados Unidos sobre o consumo alimentar com mais de 3 mil bebês e crianças mostrou que eles não comiam frutas (27%) e vegetais (32%), e que batatas fritas eram o “vegetal” mais ingerido². Porém, é importante destacar que diversas pesquisas mostram que quanto maior for a variedade de frutas e vegetais que uma criança come no primeiro ano de vida, mais chances ela terá para gostar destes alimentos³.

Mostrar o caminho de uma alimentação saudável aos nossos filhos e todos os benefícios que isso pode trazer, como o desenvolvimento cognitivo, é uma grande tarefa. Porém, estratégias simples que contemplam criatividade, ação, persistência, exemplo e rotina podem tornar isso possível.

Neste mês, trago cinco dicas para ensinar a criança a comer de forma saudável para a vida:

Criatividade: mantenha o cardápio variado

3ffb1220c4228b1857410f60a980b879

A variedade na alimentação das crianças é muito importante para o crescimento saudável. Às vezes, a criança pode rejeitar determinado alimento, como a beterraba, num primeiro instante, mas isso não significa que ela não goste desse alimento. É preciso oferecer outras vezes, e de preferência combinar com algum acompanhamento que seja do agrado da criança.

Variar alimentos e ingredientes em cada refeição ajuda a garantir com que seu filho receba uma ampla gama de nutrientes necessários para o crescimento e o desenvolvimento ideal. As diretrizes nutricionais da Academia Americana de Pediatria4, por exemplo, recomendam alimentar as crianças com vegetais, frutas, grãos, laticínios com baixo teor de gordura (após os 2 anos) e fontes proteicas de qualidade, incluindo carnes magras, peixe, nozes, sementes e ovos. Fica a dica!

Ação: faça com que seu filho se sinta parte do processo

71a0e3bb3amlo56be17eaolykg2zokegi

Ensinar os pequenos a tomar decisões saudáveis e nutritivas por si mesmos, envolvendo-os no processo, aumenta a probabilidade de torná-los adultos saudáveis. Uma ideia é levar seu filho ao supermercado para que ele possa escolher algumas frutas ou vegetais. Torná-lo parte do processo é fundamental para estabelecer hábitos duradouros.

Outra maneira de inseri-lo no processo é permitir que ele escolha pratos, copos e talheres divertidos durante o momento das refeições. Vale a pena tentar!

Persistência: não desista

quando-a-crianca-nao-quer-comer-1-55-785

Mais fácil falar do que fazer, certo? Mas é possível e vale a pena. É importante para os pais manter a calma e não barganhar, inventando mecanismos que na verdade boicotam o desenvolvimento de um hábito novo, como por exemplo, o de usar a sobremesa como recompensa de um prato limpo. É legal interagir com a criança no sentido de que ela não precisa limpar o prato ou gostar de tudo, mas pelo menos experimente cada um dos alimentos do prato.

Exemplo: alimente-se da forma como você quer que seu filho coma

“Faça o que digo, não faça o que faço” não costuma funcionar muito bem com as crianças – especialmente quando se trata das refeições. Se você tem o hábito de pular refeições, torna-se mais complicado fazer com que seu filho tenha horários regulares para comer. Ou até mesmo querer que ele coma frutas e verduras se esses tipos de alimentos não fazem parte da sua própria alimentação.

Os pais devem comer regularmente, sentando-se para as refeições, e optando por uma ampla variedade de alimentos saudáveis para que o exemplo seja seguido pelos filhos de forma natural.

Rotina: sirva três refeições e dois lanches por dia

rotinaalimentar

A correria do dia a dia aliada à falta de apetite das crianças pode muitas vezes resultar em rotinas de alimentação que equivalem a algumas mordidas aqui, uma única refeição completa, e passar por lanchinhos pelo resto do dia. Porém, uma rotina alimentar estruturada, que consista de três refeições e dois lanches por dia, pode tornar as coisas menos caóticas, manter as crianças bem alimentadas e ensiná-las que, se elas não almoçarem naquele momento, deverão esperar até a hora do próximo lanche.

Também é importante certificar-se de que cada refeição e lanche estejam repletos de alimentos saudáveis e integrais. Lembre-se que você é um espelho de seu filho, e que seus bons hábitos serão os dele futuramente.

Referências:

  1. Pediatrics Official Journal of The American Academic of Pediatrics. Table of Contents. September 2014. [Accessed in October, 2016]. Available in http://pediatrics.aappublications.org/content/134/Supplement_1.toc
  2. Siega-Riz AM1Deming DMReidy KCFox MKCondon EBriefel RR. Food consumption patterns of infants and toddlers: where are we now? .2010. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/21092767
  3. Mallan KMFildes AMagarey AMDaniels LA. The Relationship between Number of Fruits, Vegetables, and Noncore Foods Tried at Age 14 Months and Food Preferences, Dietary Intake Patterns, Fussy Eating Behavior, and Weight Status at Age 3.7 Years. 2016. https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/26198582
  4. American Academy of Pediatrics. Snacks, Sweetened Beverages, Added Sugars, and Schools. Council on School Health, Committee on Nutrition. February 2015. http://pediatrics.aappublications.org/content/early/2015/02/17/peds.2014-3902

Patrícia Ruffo é Gerente Científico da Divisão Nutricional da Abbott. Formada em Nutrição pela Universidade de São Paulo (USP), Doutoranda em Ciência pela Escola Paulista de Medicina, Patrícia possui Mestrado em Ciências pela Faculdade Medicina de São Paulo.

 

Fique Atualizado!

Insira aqui o seu email para receber gratuitamente as atualizações do Universo Jatobá!

Quero receber!